Stephen Kaung – Como foi nos dias de Noé

30 jun

“Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do homem.” (Mt 24:37)

Nos dias de Noé, as pessoas comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, quando, repentinamente, veio o dilúvio. Quando Noé entrou na arca, o dilúvio começou e todos foram levados. Comer e beber, casar-se e dar-se em casamento são coisas legítimas. Há nada de errado nisso, mas essas coisas não podem se tornar o objetivo da vida. Se você faz do comer e beber, casar-se e dar-se em casamento o alvo da sua vida, então algo está errado, e muito errado.

Pense nos dias de hoje: casando-se e dando-se em casamento; gente casando pela sétima vez. Estes são os dias de Noé. E assim será a vinda do Filho do homem. O que o Senhor quer dizer quando usa esta expressão “comento e bebendo, casando-se e dando-se em casamento”?

Ele quer dizer que as pessoas eram muito materialistas, muito ocupadas com as coisas do mundo e que elas não tinham qualquer interesse em coisas espirituais. Elas não pensavam a respeito do bem estar de suas almas. Elas eram completamente terrenas e mundanas, quando, repentinamente, Noé entrou na arca. Deus disse a Noé: “Entra na arca”. A frase “entrou na arca” (Gn 7:7), de acordo com o contexto, não se refere às pessoas que serão guardadas ao passar pela Grande Tribulação. Na verdade, a expressão significa ser tirado para fora da tribulação. Você precisa ler o contexto para entender isso. Desse modo, quando Noé entrou na arca, então veio o dilúvio.

A palavra “então” (Mt 24:40) é uma palavra chave muito importante. “Então” quer dizer “naquele tempo”. No momento em que Noé entrou na arca, e o dilúvio estiver para vir, “então” dois estarão no campo: um será tomado e o outro será deixado. Duas mulheres estarão trabalhando no moinho: uma será tomada e outra será deixada. Se você adicionar o texto de Lucas 17:34, outros dois estarão na cama, dormindo. Portanto, você encontra aqui dois dormindo na cama, dois trabalhando no campo e dois trabalhando no moinho. Isso não quer dizer que haja seis pessoas. O que o Senhor quer nos dizer é que existem duas pessoas, e dois é o número do testemunho, o qual representa os cristãos, os crentes verdadeiros estarão vivendo no tempo da parúsia.

Já dissemos em outra oportunidade que o número da igreja é tanto sete como doze. Nós temos as sete igrejas da Ásia em Apocalipse 2 e 3. Contudo, sete representa uma perfeição temporária, restrita a esta era em que vivemos. Já o número doze representa a perfeição eterna. Desse modo, em Apocalipse 21, a cidade santa, a Nova Jerusalém, é marcada pelo número doze: doze portas, doze fundamentos. Nos textos de Mateus 24:40 e 41 e Lucas 17:34, temos apenas o número dois. Onde estão os dez que faltam? No capítulo 25 de Mateus encontramos as dez virgens. A parábola das dez virgens, mais o número dois dos textos acima referidos completam o número perfeito.

Qual é a diferença entre as dez virgens e os dois crentes? Os dois crentes são aqueles que estarão vivos no tempo da parúsia, ou da vinda do Senhor, enquanto as dez virgens representam aqueles que morreram em Cristo.

Tradicionalmente, nós dizemos que as cinco virgens prudentes representam os crentes, e as cinco imprudentes representam incrédulos. Contudo, as Escrituras nunca descrevem um incrédulo como uma virgem. Um incrédulo é um adúltero ou adúltera. Somente aqueles que são lavados pelo sangue do Cordeiro são virgens. Em 2 Coríntios 11:2, Paulo diz: …mas tenho preparado para vos apresentar como virgem para um só esposo, que é Cristo. Todas estas virgens dormiram. Dormir aqui não se refere ao sono normal, que é de cerca de oito horas e, para alguns, somente quatro horas. Este sono refere-se à morte devido à demora do Senhor. Estas pessoas estavam esperando pelo Senhor no primeiro século, mas porque Ele não veio, elas morreram. Outros estavam esperando pelo Senhor no século II, mas o Senhor não chegou, e eles morreram. Portanto, as dez virgens representam aqueles que morreram em Cristo Jesus, mas serão ressuscitados dentre os mortos quando a voz se fizer ouvir. Você coloca-os todos juntos (as dez virgens e os dois crentes) e obtém os doze.

Leia também  C. H. Spurgeon - Lembre-se dos pobres

Como você sabe, a terra é redonda. Por causa disso, quando o arrebatamento ocorrer, alguns estarão dormindo já que numa parte do mundo será noite. Alguns estarão trabalhando no campo porque será por volta do meio-dia, enquanto outros estarão moendo o grão cedo pela manhã (as mulheres naqueles dias trabalhavam no moinho de manhã cedo). Isto nos mostra que a terra é redonda. Então, repentinamente, o Senhor virá como ladrão. Um será tomado e o outro deixado. A palavra “tomado” aqui é “paralambano”, usada 52 vezes nas Escrituras. Algumas vezes ela é empregada no bom sentido, outras vezes no mau sentido. Você precisa ler o contexto para determinar o sentido.

Gostaria de perguntar algo a você: quando um ladrão entra em sua casa, o que será que ele vai roubar? Será que ele roubará o seu lixo? Se fosse assim, eu gostaria que ele viesse todas as noites. O que nos surpreende é que quando ladrão vem, ele parece saber por instinto onde o tesouro está escondido. Ele irá até o seu tesouro. Você pensa que será diferente com o Senhor? Porventura o Senhor vai tomar o lixo para Si e deixar o tesouro? É claro que não! Ele tomou uma daquelas duas pessoas para si. Sem dúvida, aquele que foi tomado pelo Senhor é aquele que lhe é precioso. Contudo, externamente não há diferença entre eles.

Não fique com medo de ir para a cama dormir esta noite. Algumas pessoas dizem que, porque o Senhor está voltando, eles não ousam sequer dormir. Eles dizem: “Se o Senhor vem e eu estou pregando, graças a Deus. Aleluia! Eu serei arrebatado”. Não necessariamente. Siga sua vida normalmente. Se já é noite, vá dormir. Siga cumprindo seus deveres normalmente. Se está amanhecendo, vá moer o grão para a refeição. Siga cumprindo suas responsabilidades rotineiras: vá para o campo e trabalhe. Hoje em dia algumas pessoas dizem: “Já que o Senhor está voltando, qual é o sentido de fazer qualquer coisa?” Isto não está certo. Siga em frente, viva uma vida normal. Contudo, há uma diferença. Externamente, se você observar os cristãos, você não notará qualquer diferença. Você irá descobrir que todos vão à igreja aos domingos. Talvez todos levem suas Bíblias consigo. Muitos nem mesmo se preocupam com isso, pois a igreja providencia as Bíblias para eles. Externamente, você não nota a diferença, e não tente julgá-los, pois não há diferença; ambos estão moendo – não há diferença; ambos estão trabalhando no campo – não há diferença. Contudo, o Senhor sabe quem O está aguardando e quem não está; quem está vigiando e quem não está; quem está vencendo e quem está sendo vencido. O Senhor sabe. Que grande surpresa será!

Leia também  Divórcio: Sobrevivendo entre o legalismo e a libertinagem

Queridos irmãos, tudo isso pode acontecer a qualquer momento. Não diga que o Senhor está retardando a Sua vinda. Ele pode vir a qualquer momento, mas Ele virá como ladrão. Você está pronto para Ele? Será que você é digno de ser tomado? Ou será que você será deixado para trás? Temo que haverá grandes surpresas. Muitas pessoas pensam: “Certamente aquela pessoa será tomada”, todavia ela será deixada. Muitos irão pensar: “Aquele ali será deixado”, mas ele será tomado. Não fique tão certo assim a respeito de si mesmo. Se você pensa que está pronto, estão você não está pronto. Mas se você realmente pensa que não está pronto, então pode ser que você esteja pronto. Por essa razão o Senhor diz: “Portanto, vigiai”. É por esses acontecimentos que nós estamos esperando e, quando eles ocorrerem, você saberá que a presença do Senhor é chegada.

Irmãos, eu tenho estado em conflito com relação a este assunto, pois não quero passá-lo a vocês como um conhecimento acadêmico. Sabemos que as pessoas estão interessadas no arrebatamento, mas aquilo que realmente as interessa é a interpretação do arrebatamento. Eu espero que vocês não estejam interessados na interpretação, mas que o interesse de vocês esteja no arrebatamento em si. Qualquer interpretação que nos ajude a estar mais vigilantes e melhor preparados será proveitosa, porém o simples fato de defender uma interpretação não significa nada. Irmãos, o que é importante e o que estamos aguardando é a parúsia do Senhor. Se você o ama, você então anseia que Ele esteja presente. Ele tem estado ausente por tanto tempo e, graças a Deus, Ele irá satisfazer o coração que por Ele anseia. Mas você sabe que, mesmo antes de nos deixar, o Senhor disse que voltaria para nos tomar para Si? Em outras palavras, há anseio no coração do Senhor Jesus pela noiva. Desde o dia em que partiu, o Senhor está ansiosamente esperando pelo momento que poderá tomar a Sua noiva para Si.

O arrebatamento é o anseio do coração de Cristo. Ele anseia por nos receber. Ele anseia por nos tomar para Si para sermos Sua noiva eterna, mas infelizmente não estamos prontos. Por isso, irmãos, nós precisamos ter o coração de Cristo. Assim como Ele anseia por nós, que nós também ansiemos por Ele. Precisamos ter o espírito do arrebatamento, e não apenas o conhecimento do arrebatamento. De que adianta o conhecimento se formos deixados?

Precisamos ter esse espírito do arrebatamento. O que é o espírito do arrebatamento? É um espírito no qual mesmo que você ainda esteja aqui na terra, seu coração já está lá no céu. O Senhor Jesus disse: “Ora, ninguém subiu ao céu, senão aquele que de lá desceu, a saber, o Filho do Homem que está no céu” (Jo 3:13). Mesmo quando o nosso Senhor estava na terra, Ele estava no céu. Este é o espírito do arrebatamento. Será que estamos tão ligados à terra que quando o Senhor vier, estaremos tão pesados, tão enraizados que Ele não poderá nos tomar? O trigo tem que secar para ser cortado. Será que estamos secos com relação à terra? O nosso coração já está no céu? Acaso vivemos diariamente no espírito do arrebatamento? Se isso acontecer, então eu creio que terá sido válido compartilhar estas coisas. Caso contrário, terá sido apenas vaidade.

Leia também  A Superioridade das Escrituras

Vamos completar a cena que estávamos visualizando no capítulo 12 de Apocalipse. O filho varão (aquele que foi tomado) é arrebatamento para o trono. Então, os que são tomados formam a vanguarda que prepara o caminho para a vinda do Rei. Os ares constituem o quartel general do príncipe deste mundo. Todavia, como esses vencedores já o venceram em sua vida diária, eles podem abrir caminho através do quartel general do inimigo e alcançar o trono. Eles são o grupo de boas-vindas. Eles vão até lá para trazer o Senhor do trono até os ares. Por essa razão, Miguel e seus anjos irão pelejar contra Satanás e seus seguidores nos ares, e Satanás será lançado sobre a terra. Inicia-se então a Grande Tribulação. Aqueles que são deixados para trás terão de sofrer, mas graças a Deus, será mais uma oportunidade. Se você não está disposto a ser disciplinado hoje, o Senhor lhe dará uma nova oportunidade de ser disciplinado durante a Grande Tribulação. Quando a tribulação terminar, a colheita estará pronta. Então você descobre que, ao soar da trombeta, os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro e aqueles que vivem e ficarem serão transformados e arrebatados juntos até os ares para lá encontrar com o Senhor. Isto é arrebatamento. Irmãos, vocês anseiam por ser arrebatados? O quanto antes, melhor, não por nossa causa, mas por causa d’Ele. Possa o Senhor nos ajudar.

Oremos: Amado Senhor Jesus, mesmo antes da Tua partida, Tu prometeste que voltarias para nos receber para Ti mesmo. Mas Senhor, Tu tens esperado por dois mil anos e nós ainda estamos aqui. Senhor, como desejamos poder satisfazer o Teu coração de modo que estejamos prontos para Ti, de modo que apressemos o Teu retorno para que possa nos ter para Ti mesmo e, assim satisfazer o anseio do Teu coração. Senhor, não permitas que sejamos indiferentes; não permita que estejamos voltados para esta terra; não permita que pensemos que o nosso Senhor se demora; mas que possamos viver diariamente no espírito do arrebatamento. Pedimos isto no Teu precioso nome. Amém.

(Extraído do livro O Rei Está Voltando, do irmão Stephen Kaung, da Associação de Literatura Cristã).

Stephen Kaung

Stephen Kaung é um obreiro, conferencista e escritor cristão que vive em Richmond, Virginia, EUA. No início dos anos 1930, juntou-se com Watchman Nee em ministério de tempo integral na China. Em 1952, mudou-se para Nova Iorque. Nos anos 1960, ele trabalhou junto a T. Austin-Sparks. O Senhor o tem usado tremendamente em várias partes do mundo. Ele promoveu a publicação de mais de 50 obras de Watchman Nee para o inglês. Hoje, com mais de 102 anos, Stephen Kaung continua servindo ao Senhor no ministério da Palavra.

Comentários