Casa de Oração – Prefácio à Edição em Português

17 jun

Casa de OraçãoQuando estava em Halford House, em Richmond, Inglaterra, Lance Lambert ministrou uma série de mensagens sobre a escola de oração, cuja ênfase é a necessidade de oração coletiva, algo tão pouco compreendido e tão pouco ensinado hoje. O fato de poucos líderes enfatizarem essa necessidade e poucos livros terem sido publicados sobre o assunto revela que a oração corporativa, e mais especificamente a oração intercessória, como um ministério da Igreja, é uma das maiores urgências de nosso tempo, senão a maior.

Como Lance Lambert ressaltou: “Eu não acredito que tenha havido um tempo em nossa história em que mais precisamos conhecer sobre intercessão. (…) Temos de ouvir o clamor de Deus: ‘Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei’ (Ez 22.30). Esse é o chamado e o desafio do Senhor. Haverá alguém disposto a responder a eles?”.

Louvamos ao Senhor por abrir os olhos de muitos de Seus filhos nesse tempo para verem a Igreja como Corpo de Cristo, ou como Sua noiva, ou Seu edifício. No entanto, Ele também declarou: “A minha casa será chamada casa de oração para todas as nações” (Mc 11.17). Por isso, a Editora dos Clássicos publica esta obra, considerada a melhor, a mais profunda e ao mesmo tempo prática em seu gênero, com o propósito de também sermos edificados como Sua casa de oração.

Originalmente ela foi publicada em um único volume, mas com o propósito de torná-la uma ferramenta indispensável para o estudo em grupo, com o menor custo e acessível ao maior público possível, foi dividida em quatro volumes.

Leia também  A. W. Tozer [Um profeta do século 20]

Em Suas mãos confiamos esta obra. Que, em Sua graça, sejamos Seus discípulos aprovados em Sua escola de oração.

Os Editores

Monte Mor, SP, 16/10/2012

(Extraído da obra “Casa de Oração – Vol. I”. Editora dos Clássicos, 2013).

► Ver livros de Gerson Lima
Gerson Lima

Editor da Editora dos Clássicos.

Comentários